segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Arrumem as malas! Vem aí estação "Cisca Fogo".




 Boa tarde amigos!!! Hoje na estação "Na Boca do Povo" muitas alegrias a partilhar na trilha do Samba. Na música "Batuqueiro" encontramos a folia do Caboclo.
Samba Caboclo "Mantendo os ritmos tradicionais do samba africano, o chamado “samba de caboclo” possui algumas características próprias. Os cânticos são mais fortes e motivam coreografias mais vigorosas, exigindo do sambista ou do caboclo que dança qualidades de passista. Os instrumentos musicais são praticamente os mesmos dos sambas tradicionais, tais como atabaques, agogôs, reco-recos e chocalhos.
As letras dos sambas de caboclos não possuem temas específicos, podendo tudo aparecer. Os motivos dos sambas, muitas vezes servem para retratar transformações sociais.(...)
Os sambas de caboclos não ocorrem apenas nos chamados candomblés de caboclos. Eles aparecem em ritos de candomblés que procuram ainda manter certos africanismos. (...)
Marcada com glórias e vitórias, a data de dois de julho antecipou nossa independência. Isso ocorreu na Bahia e o papel dos caboclos nesse movimento de libertação foi marcante. Assim, todos os anos, na data de dois de julho, em Salvador, um grande cortejo corta as principais ruas da cidade. O caboclo é levado em charola ou em carro alegórico, onde as principais cenas da data são representadas. Mais tarde os festejos são complementados com rodas de samba e cerimônias públicas nas muitas casas de candomblés de caboclo. Esses festejos ocorrem também no Rio de Janeiro, mas em menor proporção, e as comemorações ficam restritas aos rituais de caboclo nos candomblés. (...)
Esse cântico é entoado quando os caboclos bebem muita jurema e ficam embriagados, tendo assim que voltar para as aldeias. Essa bebida é feita com a erva jurema, cachaça e mel". (Lody, Rui Giovanni da Motta. “O caboclo no folclore brasileiro”. O Fluminense. Rio de Janeiro, 06 de julho de 1975). 
"Os caboclos incorporados sambam na roda, voltados para os atabaques,
demonstrando suas habilidades de bailarinos com saltos e variações do passo do samba,
puxando cantigas e improvisando versos, geralmente em tom de desafio. Uma umbigada
de um caboclo pode colocar alguém em transe também. Existe um tênue limite entre
estar ou não no transe do encantado, entre o sagrado e o secular e, conseqüentemente,
entre o samba de roda e o samba de caboclo". (SOUZA, Genésio Romoaldo de.)


O Samba e seus ritmos, de uma certa forma, materializa o sentimento de seu povo, então como dissertá-lo. Vamos amigos, brindar mais uma vez ao Samba.
Partido Alto- " De acordo com a Enciclopédia da Música Brasileira, "samba de partido-alto é um gênero do samba surgido no início do século XX conciliando formas antigas (o partido-alto baiano, por exemplo) e modernas do samba-dança-batuque, desde os versos improvisados à tendência de estruturação em forma fixa de canção, e que era cultivado inicialmente apenas por velhos conhecedores dos segredos do samba-dança mais antigo, o que explica o próprio nome do partido-alto (equivalente da expressão moderna "alto-gabarito"). Inicialmente caracterizado por longas estrofes ou estâncias de seis e mais versos, apoiados em refrões curtos, o samba de partido-alto ressurge a partir da década de 1940, cultivado pelos moradores dos morros cariocas, mas já agora não incluindo necessariamente a roda de dança e reduzido à improvisação individual, pelos participantes, de quadras cantadas a intervalos de estribilhos geralmente conhecido de todos".( MARCONDES, Marcos Antônio. Enciclopédia da música brasileira - erudita, folclórica e popular. 1. ed. São Paulo).


Poeticamente e com toda a licença que a poesia nos permite, " O meu beijo é doce, doce e mais nada ..." (Invernada - Rancheira) Cd: Na Boca do Povo. É assim que nos sensibilizamos com o homem sertanejo, aquele que compõe a paisagem do Nordeste Folclórico Brasileiro. 
Rancheira é um estilo musical brasileiro, originada no meio rural. Apresenta variações regionais, sendo as mais importantes a Rancheira Gaúcha, com marca da influência do ritmo do Norte argentino, e a Rancheira Sertaneja, originada no Sudeste do Brasil, mais especificamente no interior paulista, com influência de ritmos bolivianos e paraguaios.
A Rancheira é também o nome da forma de dançar (bailar) que é adequada à música.
(Wikipédia). 
Rancheira – Dança popular, de compasso ternário originaria da Argentina, comum no Rio Grande do Sul e mais tarde divulgada nos salões. Aurélio (Dicionario).

Preparem-se muitas emoções repartidas "Na Boca do Povo" e muitas Folias e Ritmias a serem colocadas na "Mala do Folclore" a caminho da estação "Cisca Fogo"! Agradecemos mais uma vez, vossa companhia e lembrando que está no nosso endereço sonoro, mais uma música do Cd Minha Terra  https://www.youtube.com/watch?v=O6ZB9Og47K4#at=11.  Até mais e aguardem o nosso próximo Post. 


foto arquivo pessoal


Nenhum comentário:

Postar um comentário